Flashforward – Robert J. Sawyer

Dois dos temas mais instigantes em qualquer ficção são as viagens no tempo e a questão do livre-arbítrio ou do destino determinado pelas profecias. Está tudo escrito ou tudo pode ser modificado? E, mais do que isso, tentar evitar a profecia vai fazer seu destinatário caminhar diretamente para sua concretização? (esse é um dilema presente na literatura desde sempre – na verdade, os gregos entendiam que o pior dos pecados era justamente tentar burlar o destino, com consequências trágicas).

No livro de hoje, o tema das profecias vêm através da ficção científica e de uma viagem no tempo coletiva involuntária. Como em nossa realidade, o CERN construiu um acelerador de partículas capaz de replicar as condições do início do universo e detectar o bóson de Higgs, partícula presente em modelos teóricos e cuja detecção os confirmaria. Então, um pouco diferente de nós, em 2009, liderados por Lloyd Simcoe e Theo Procopides, o experimento é feito, mas acaba tendo um efeito colateral para lá de inesperado: a humanidade inteira “apagou” por cinco minutos e teve a consciência lançada para 21 anos no futuro, podendo assistir à sua vida por lá por este tempo.

Leia mais deste post

Anúncios