Histórias da Copa do Mundo

Espero que desculpem a falta de atualizações, mas estou usando um computador que tem birrinha com o WordPress, além de estar ocupada com os compromissos acadêmicos e com minha querida diversão que só acontece de quatro em quatro anos 🙂

Gosto do jogo futebol e da cultura futebol, que é tão atávica a nós e também tão menosprezada (talvez por esse atavismo tão forte, não sei). A Copa do Mundo, maior competição esportiva do planeta e que envolve rivalidades nacionais, locais, une países e orgulha nações, é riquíssima em histórias a serem contadas pelas gerações e hoje recomendo dois filmes.

O primeiro é o alemão O Milagre de Berna. Em 1954, havia uma grande seleção e um grande craque: a Hungria de Puskas. Era a favorita, ganhando partidas e encantando a Europa, mas havia um azarão em seu caminho: a Alemanha Ocidental, recém saída da guerra, humilhada, destroçada e deprimida. Os alemães surpreenderam e venceram o melhor time na final disputada na cidade de Berna, na história conhecida como milagre de Berna, elevando o moral nacional e trazendo alegria e esperança para seus torcedores.

O segundo, o estadunidense Duelo de Campeões, que trata da vitória dos EUA sobre a Inglaterra na Copa de 1950, partida disputada em Belo Horizonte. Os EUA eram uma equipe amadora formada principalmente por imigrantes, azarona, que fez o jogo de sua vida e ganhou o jogo da grande equipe europeia. Vale bem a pena. 🙂

***

Outro filme sobre o esporte – e sobre a África do Sul – que é um must see é Invictus, que trata da história da liderança de Nelson Mandela para o fim do apartheid e a copa do mundo de rúgbi que a equipe da África do Sul venceu invicta, unindo um país desunido por anos de um regime político cruel em torno de uma causa única e a esperança de dias melhores.

***

Algum dia ainda arrisco resenhas de filmes 🙂

E até a próxima!

Anúncios

Copa do Mundo

Para os marcianos e saturnianos que visitam meu blog, hoje, dia 11 de junho de 2009, é o primeiro dia da Copa do Mundo de 2010, que acontece na África do Sul.

Gosto do clima de Copa, da festa, do foguetório, das cornetas, das buzinas. As pessoas estão mais festivas, os adultos tem a chance de serem crianças, as pessoas tem a chance de conhecer melhores amigos instantâneos e compartilharem juntos momentos de alegria.

Hoje quando voltava para casa, vi um senhor idoso passeando pela praça soprando uma cornetinha verde-amarela, satisfeito, assim como vejo bandeirinhas do Brasil tremulando pela cidade, paulatinamente. Há quem critique, acha que há coisas mais importantes para se preocupar, ou que patriotismo não deveria ser coisa de ocasião. Discordo em termos, pois todos nós precisamos de diversão, de nos sentirmos encantados, de relaxarmos por alguns segundos e acreditar que nossa realidade pode ser diferente. E também acho bonito as intenções das pessoas convergidas para um único fim.

Só que vamos ser críticos como somos com o Dunga, Robinho, Kaká e colegas em todos os aspectos da nossa vida? Vamos cobrar compromisso e coerência de nossos governantes, exigir mudanças, fazer nossa realidade fora da copa mudar? Vamos levantar a ficha e a atuação de nossos candidatos aos cargos públicos com o mesmo afinco que destrinchamos a atuação dos jogadores em seus clubes? E quando alcançarmos vitórias em nosso desenvolvimento vamos comemorar com grandes festas verde-amarelas?

Desculpem por sair um pouco do tom do blog 🙂

E vai ser um mês com alguns postzinhos temáticos especiais… 🙂