Qual livro você quer ver aqui?

Este é o espaço de interação com o leitor: qual livro você quer ver aqui?

Pode ser de qualquer autor, estilo e tamanho, desde que facilmente encontrado. Os comentários estão abertos para sua sugestão: 🙂

52 Responses to Qual livro você quer ver aqui?

  1. Alexandre disse:

    Bom, que tal o steampunk da tarja? 😉

  2. Isla disse:

    Hey, adorei o post sobre Stardust, me ajudou pra caramba!

    Gostaria muito que vc analisasse Orgulho & Preconceito, meu predileto, da Austen ^^

    Obrigada

  3. Pingback: O Nome do Vento – Patrick Rothfuss « Leitura Escrita

  4. Gostaria que você resenhasse A Fome de Íbus – Livro do Dentes-de-Sabre, da Giz Editorial. Abraços!!

  5. Eduardo Daniel disse:

    Seria ótimo ter o prosseguimento das resenhas sobre a saga de Eragon, ou talvez, uma resenhona sobre toda a obra do Bernard Cornwell (poderia se chamar resenha-monstro, ou, resenhaazila, resenhamothra, quem sabe…), mas, me contento com coisas do tipo Machado de Assis, ou Heinlein.

    • Ana Carolina Silveira disse:

      A do Eragon, não garanto, até terminei de ler o Eldest, mas li o comecinho de Brisingr e dei aquela desanimada.
      Tem duas resenhas do Bernard Cornwell aí e não devo ler outro livro tão cedo, pelos motivos que expliquei.
      Mas o Machado de Assis? Pode ser, em breve 🙂

  6. Suely disse:

    Olá! Adorei o blog e o incentivo à leitura. Sempre gostei muito de ler e, “no meu tempo” tínhamos o Clube do Livro. Era muito legal, adquiríamos os livros que os aguardavamos ansiosos para fazermos a leitura. Ler os comentários e ter a possibilidade de apresentar os nossos contitui um excelente estímulo à leitura.
    Abraços a todos!

  7. Luis Felipe disse:

    Olá, gostaria que você fizesse uma resenha da minha série favorita de livros: Percy Jackson & Os Olimpianos. E, aproveitando a oportunidade, irei fazer uma pergunta: A Song Of Ice And Fire já foi lançado no Brasil? E, se já, ele está a venda na Saraiva e/ou no Submarino.com?

    Obrigado,
    Felipe

    P.S.: O blog está ótimo!

    • Ana Carolina Silveira disse:

      Luis, você deu sorte, pois o Percy Jackson vai ser uma das próximas resenhas, o texto está até aqui, talvez já saia semana que vem 🙂

      E o A Song of Ice and Fire não saiu no Brasil ainda, a previsão é que saia no segundo semestre, quando sair eu deixo uma notinha.

      Obrigada pelos elogios e continue acompanhando! 😉

  8. Luis Felipe disse:

    Obrigado, e nem precisa falar para eu continuar acompanhando seu blog, eu adorei!

  9. lucasfx disse:

    Apreciei imensamente seu blog e, vendo pelo seu (bom) gosto e pelas leituras e análises postadas… fiquei surpreso de não encontrar aqui a análise do livro O Senhor dos Ladrões, de Cornelia Funke.

    É uma leitura maravilhosa, emocionante. Posso dar minha palavra de que você também achará a leitura maravilhosa e também ficará emocionada. =)

    Foi com a leitura de uma pequena análise, que um amigo enviou para um e-mail, que travei contato com a obra. Ei-la:

    “A explicação para seu sucesso é que, em primeiro lugar, ela não trata as crianças como seres incapazes de formular pensamentos complexos e tomar sérias decisões. Seus personagens são maduros, só que não desaprenderam a se divertir com coisas simples, como comer bombons. Em segundo, seu livro é muito bem organizado. Jà de início, o cenário da ação, Veneza, é descrito num mapa. É que Funke não só escreve, mas também ilustra suas histórias.

    O maior trunfo, no entanto, é uma história baseada na vontade de crescer, tipicamente infantil, e no sonho de voltar à infância, comum nos adultos. O “senhor dos ladrões” é Scipio, adolescente que lidera um bando de garotos astuciosos. Para sustentar sua turma, ele se encarrega de furtar antigüidades, até receber uma encomenda desafiadora: surrupiar um objeto com poderes mágicos.

    Discriminação, cobiça, confiança e perdão pontuam a trama, bem-humorada e melancólica, fantasiosa e realista. E que, como o desejo de avançar ou recuar no tempo, tem a capacidade de unir crianças e adultos.”

    Ah, sim, no início do livro há um poeminha da escritora. Dê uma lida nele, com carinho. Acho que foi o que mais me tocou.

    Enfim, grande abraço, e parabéns por seu excelente trabalho.

    p.s.: Já ia esquecendo. Há também um livro excelente do Jorge Amado, o “Capitães da Areia”. É um livro bem denso… sério, adulto e pesado. Acho que o mais “pesado” do autor. Vale muito a pena. Tanto para simplesmente ler quanto para postar uma análise aqui.

  10. Roberto Ferreira Valderramos disse:

    Estou terminando de ler e adorando “O Nome do Vento”. Estou já ansioso por ler o Segundo Livro da saga do Kvothe, e espero que a sequência seja tão habilidosamente descritivo-narrativa como a Primeira Parte.
    Sou um leitor à antiga, do tempo em que escrever descrições mais ou menos minuciosas não era pecado capital literário.
    Aproveitando o assunto, quero recomendar a você a leitura de dois livros antigos que primam pelas descrições espetaculares:
    Salammbo – A obra épica do grande escritor realista Gustave Flaubert. Esse livro foi eclipsado pelo escandaloso sucesso de Madame Bovary, um clássico do realismo cínico. O caso é que Salammbo permite-se fantasias exóticas e históricas salpicando um realismo brutal, focalizando o período histórico em que a poderosa cidade de Cartago via a ascensão do general Amílcar Barca, pai do grande Aníbal. A capacidade descritiva de Flaubert pinta grandiosos painéis de barbárie, sensualidade, exotismo e brutalidade. Um grande livro!
    A Terra de Deus (The Earth is The Lord’s) – Escrito em 1941 pela escritora Taylor Caldwell, é uma narrativa épico-dramática que enfoca toda a juventude do personagem Temujin, o mongol que seria conhecido futuramente como Genghis Khan, o construtor do Império Mongol, o maior império em extensão territorial de toda a História. Os exércitos mongóis varreram e conquistaram quase a Ásia inteira e chegaram a invadir a Europa. Oriental. O que me impressiona até hoje neste livro ímpar é a inigualada capacidade de tecer cenas de cores fortes, de exacerbada dramaticidade e aquinhoadas com um senso de grandiosidade épica e trágica que sinceramente nunca encontrei em outro livro. Toda a saga do jovem Temujin e de seus impressionantes e vívidos coadjuvantes é marcada por um fatalismo praticamente naturalista, porque os homens pouco ou nada mais são que animais que seguem compulsivamente suas paixões. Temujin conhece o medo e os incessantes perigos da luta pela sobrevivência desde menino, e a ferocidade do mundo ermo, imenso e caótico que o cerca (as rudes estepes sem fim do Gobi, preenchidas por tribos bárbaras) moldam um vencedor predestinado, um homem mais do que cruel ou implacável: moldam um líder monstruoso, capaz de atropelar o que ou quem quer que atravesse o seu caminho rumo ao poder absoluto. As cenas são tão grandiosas, tão primorosamente descritas, englobando cenários, animais e gentes, que até hoje tenho sérias dúvidas de que tenham sido mesmo escritas pela Taylor Caldwell. Isso porque, em nenhum de seus outros livros, nunca mais ela conseguiu pincelar em cores tão extraordinárias, tanto em atmosfera quanto em dramaticidade, nenhum de seus tantos outros livros.

    • Ana Carolina Silveira disse:

      Nossa! Vamos por partes 😀
      – Também estou ansiosa para ler a segunda parte do Nome do Vento, mas ao que parece ela não foi publicada ainda nem mesmo no original. É um dos universos fantásticos mais inusitados e ao mesmo tempo sombrios que vi nos últimos tempos e quero ver se o autor vai contar o resto da saga no mesmo nível.
      – Salambô: é um livro que sempre quis ler, faltou mesmo oportunidade. Lembro que a primeira menção que vi a este livro foi numa obra de Monteiro Lobato em que os personagens conversavam sobre a crueza da descrição dos acontecimentos. Fiquei apavorada, mas daí fui crescendo, o interesse aumentando, mas faltou mesmo a oportunidade. Quem sabe agora com a sugestão?
      – A Terra de Deus: não tinha ouvido falar no livro e me parece interessante. Parece uma boa, vou procurar 🙂

      Obrigada pelas sugestões e volte sempre!

  11. Roberto Ferreira Valderramos disse:

    Se existe um escritor brasileiro que me faz lembrar o insuperável João Guimarães Rosa, esse é o goiano Bernardo Élis.

    Certa vez, ainda adolescente, decidi ler um livro da Literatura Brasileira, mais por curiosidade do que por altas expectativas. O livro da vez que caíra em minhas mãos era o romance O Tronco, de Bernardo Élis.

    Uma vez iniciada a leitura, tive dificuldade em largar o livro e cuidar das minhas tarefas rotineiras. Fascinado, eu me grudara às páginas com uma obsessão entusiasmada e feroz, a ponto de postergar janta, banho, sono.

    Raras vezes li qualquer ficção que retratasse tão bem as ilusões pueris do idealismo administrativo, os diversos níveis da incessante luta pelo poder, o idealismo frágil e hesitante levado de roldão pela força bruta da vida real, o jogo de interesses que eleva alguns para derrubá-los quando deixam de ser convenientes.

    Crueza sem concessões, painel de hipocrisias, ódios, pusilanimidades, violências brutais, cenas patéticas de medo e de desespero… tudo isso está lá nas páginas desse romance que tem uma agilidade novelística da primazia da ação sobre a divagação. Vale dizer: da realidade nua.

    Mas que contém uma poesia fulgurante embora cruel do universo esplêndido do sertão de Goiás, vividamente descrito, assombrosamente narrado, com propriedade e transcendência, por um autor que viveu e entendeu a sua terra e o seu tempo.

    Obra-prima de elaboração ficcional, infelizmente conhecida por pouquíssimos brasileiros.

    Bernardo Élis seria um gigante cultuado nas escolas, fosse este um país que prezasse as Letras e tivesse escolas de verdade.

  12. Wendell disse:

    Dragões de Éter, Raphael Draccon, leia e diga o que acha .
    (e tente não ligar para a forma como ele narra, é um pouco… diferente)
    Leia sem pretensões . 😀

  13. Bruno Costa disse:

    Gostaria de ler mais sobre livros voltados para o público infantil, como a série Como treinar o seu dragão, de Cressida Cowel, ou infantojuvenil – p.ex., A pirâmide vermelha, de Rick Riordan (autor de Percy Jackson e os olimpianos). Obrigado

    • Ana Carolina Silveira disse:

      Infelizmente vou ficar devendo, já que praticamente não leio livros mais voltados para o público infantil. Quem sabe se um dia eu tiver filhos e o blog ainda existir… 🙂

      Um blog que tem bastante material de infanto-juvenil é o Mundo de Fantas: http://mundodefantas.blogspot.com Certamente vai achar boas resenhas por lá 🙂

  14. Pingback: Julie&Julia – Julie Powell | Leitura Escrita

  15. Wendell disse:

    Que tal Steven Erikson com seus ‘Malazan Books’, ou Glen Cook com ‘Black Company’ ou mesmo Joe Abercrombie e a ‘The First Law Trilogy’ ?

    Livros muito falados, mas que nunca li, e cerca de 98% das críticas são extremamente positivas e os outros 2% são mais imparciais .
    É uma boa dica, espero eu. E ainda alimento a esperança de algum esses comprar os livros.

    • Wendell disse:

      *comprar algum desses livros
      foi malz . 😉

    • Ana Carolina Silveira disse:

      O Black Company eu tenho, mas sabe aquela coisa de nunca ter dado ainda o click de ir lá e ler o livro? quero ver se esse ano ainda eu mato…

      E o Malazan e o First Law, tb sou muito curiosa para ler e ver qual é, tb ouço falar muito bem…

  16. Renato Crozatti disse:

    Olá! Gostaria de saber sua opinião sobre os livros de Haruki Murakami (comecei a ler Kafka à Beira Mar e é muito bom) e George Orwell (estou com 1984 e A Revolução dos Bichos para ler).
    Ah, estou curioso para ler um livro que me recomendaram muito: Infinite Jest, de David Foster Wallace. Infelizmente ainda não traduziram o livro para o português, mas enfim, fica a dica.

    • Ana Carolina Silveira disse:

      Quero reler o 1984 em breve para dar minha opinião com a história fresca na cabeça, mas é um livro MUITO forte e altamente recomendado para qualquer um.
      Quanto ao Murakami, tem um amigo meu que é muito fã, e vc encontra as resenhas dele aqui: http://rodapedohorizonte.wordpress.com E você pode dar uma conferida por lá tb 🙂

  17. Gustavo disse:

    Olá! Gostaria de saber sua opnião sobre a saga “A Torre Negra” de Stephen King .

    • Ana Carolina Silveira disse:

      Confesso que vejo os livros, acho grandes, dá uma preguiiiiiiiiiiiça, mas fica anotada a sugestão 😀

  18. Pingback: After Dark (Após o Anoitecer) – Haruki Murakami | Leitura Escrita

  19. Diego disse:

    Que tal Deuses americanos do Neil Gaiman?

  20. Clara disse:

    que taal,a garota da capa vermelha,ou,agua para elefantes,ou,percy jackson e os olimpiAnos seria uma boaa

  21. Arisa disse:

    Estou lendo “Divergent”, da Veronica Roth. Estou achando interessante porque não achei a protagonista (e seu par romântico) usuais; algo que me surpreendeu um pouco foi que ao longo da história é mostrado algumas tendências a não ser assim tão inerentemente boazinha como heroínas de YA geralmente são. Não sei o que pensar sobre a personalidade dela ainda, se gosto ou não, mas gostaria de saber a sua opinião, que é sempre bastante pertinente.
    Fica minha dica =)

  22. Arisa disse:

    Eu aqui de novo te incomodando ^^’

    Se você quiser uma temática diferente de vampiros, bruxos, lobisomens, distopia, etc em YA, que estão/estavam em alta e um tanto saturados já, há a série Wicked Lovely, que é sobre fadas. Quando eu li achei que ia ser bem previsível (quanto ao romance), seguindo a mesma linha da maioria dos livros YA, mas até que não foi… Um ponto importante é os relacionamentos não se desenvolvem na velocidade muitas vezes ridículas que encontramos em grande parte dos livros também. E a heroína é muito forte, outro ponto positivo. =)

    Eu não conhecia muito sobre o folclore das fadas, que é parte importante da cultura da Grã Bretanha, então foi interessante, apesar de eu ter achado o ritmo da história um pouco lento demais.

    Se você tiver como encaixar na sua lista de leitura, que com certeza é enorme (a minha também é rs), acho que vale a pena dar uma conferida.

  23. Marcos disse:

    Ana, você leu o Jonathan Strange e Mr. Norrell, cujo lançamento comentou em alguns posts?

    Estava procurando alguns livros pra ler agora que A Song of Ice and Fire e A Crônica do Matador do Rei vão demorar para continuar, e queria alguma história volumosa que fosse tão boa quanto, mas não sei direito o que ler. Estou dando uma olhada nos seus posts, mas você tem algum preferido, algum outro A Song of Ice and Fire?

    • Vamos lá, do começo:
      1) Li o Jonathan Strange e Mr. Norrell, mas não gostei nadinha. Achei tão chato que larguei com 1/3 do livro, não gostei mesmo.
      2) Se for pra sugerir séries, depende um pouco do que vc gosta também. Posso sugerir As Brumas de Avalon, são 4 livros, já fechada; A Torre Negra, do Stephen King (não li, mas vários amigos leram e sei que é dessas séries empolgantes). Se vc ler em inglês, tem outras séries como The Black Company, Malazan Book of the Fallen, e muitos, muitos outros…

      • Albarus Andreos disse:

        Jonathan Strange e Mr. Norrell foi simplesmente um dos melhores livros que já li na vida.

      • Marcos disse:

        Uma boa notícia para ser compartilhada:
        Enviei email pro novo selo de fantasia da Leya, o Fantasy – Casa da Palavra, sugerindo a publicação do Black Company, Malazan Book of the Fallen (você indicou e eu fui atrás, me interessando bastante) e dos livros do Joe Abercrombie .
        A assessora de imprensa me informou que o Black Company já tinha sido comprado por uma editora, assim como o último livro do Abercrombie, The Heroes. Quanto ao Malazan, eles estavam analisando, já que é uma série bem extensa.

        Quem sabe em algum tempo não precisarei conseguir ler em inglês para conhecer essas obras, ahn?

  24. Marcos disse:

    Guerra mundial Z

    A melhor coisa que já foi feita com zumbis.

  25. Lais disse:

    Queria ver o livro ”O Baú de maldições” do Autor Ant Lima. Jovem escritor que vem conseguindo leitores teen, pelas redes sociais, bem legal! Beijos, amei o blog!

  26. Thiago disse:

    Gostaria muito de ver uma resenha sobre o livro “Morte Súbita” (ou “The Casual Vacancy), romance adulto da J.K. Rowling. Particularmente, achei o livro incrível, com Rowling demonstrando que não está presa a apenas um estilo de literatura.

  27. Pedro disse:

    Queria ver o livro EMBORA O MUNDO TIVESSE COR do GUSTAVO GUZA

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: