Game of Thrones: Episódio 29 – The Rains of Castamere

Casamentos são festas particularmente interessantes: comida, bebida, a esperança de felicidade do casal que se une, os parentes bêbados dando vexame, enfim. Ou coisas muito piores. Se vocês achavam que a morte de Ned Stark era a pior e mais chocante coisa que poderia acontecer nessa série… bom, vocês não tinham visto nada ainda. Como disse um personagem, no melhor quote até o momento: “se você acha que isso terá um final feliz é porque não está prestando atenção”.

gots03ep29

 

  • Bom, O Evento, O Spoiler, aconteceu no episódio de hoje. É o maior spoiler de toda a série – talvez porque seja algo que, apesar de previsível em retrospecto, seja algo que você não acredita que o autor terá coragem de fazer. Outras mortes ainda virão, claro, algumas chocantes pelo contexto, outras que são cliffhangers baratos, mas nenhuma, até o momento, tão impactante quanto esta. É quando parece que toda esperança se esvai (apesar de Westeros não ser um mundo onde mocinhos e bandidos ocupam posições fixas) e que a noite é escura e cheia de terrores. Mas antes disso vamos por campos um pouco mais alegres (?).

  • Para quem reclamou da ausência dos lobos (eu!), este episódio foi o que eles mais apareceram, mesmo que um deles apenas para fins trágicos. Lembrando que Fantasma continua passeando por aí de boa e deixando o Jon desguarnecido.

  • Walder Frey, a pessoa mais odiada de Westeros, apresenta suas filhas e netas liiiindas para Robb Stark e o desesperado Edmure, que deverá desposar uma das beldades. A cara dele é impagável e é a melhor intervenção humorística do episódio. Apesar de que os próximos personagens trouxeram boas gags entre eles.

  • Arya e Hound estão bem pertinho do casório e querem participar da festa, uma belíssima reunião de família onde todos estão felizes e um momento perfeito para o retorno da filha pródiga. Com direito a pé de porco defumado e um diálogo muito bom. “Conheço um assassino bem melhor do que você!” “É esse homem aí?” “Bom, não…”.

  • Enquanto isso, no norte (novamente um episódio de poucas linhas narrativas muito bem exploradas, mas já prevejo que a season finale vai ter só um clipezinho pra cada personagem e tá bom demais), Sam e Gilly chegam ao final de sua jornada. Acho interessante a dinâmica entre um rato de biblioteca e uma garota que sabe pouquíssimo do mundo. E ela o elogia da melhor maneira possível: “você parece um mago!”. Para alguém cujo sonho era ser mago… (e pros leitores: pra mim o Coldhands não tá fazendo falta nenhuma. Pelo contrário, é um personagem que pode ser eliminado sem dramas).

  • Os selvagens pretendem matar um homem inocente para roubar seus cavalos, mas Jon se opõe. Mais do que isso: dá seus pulos para que o pobre coitado consiga escapar. O que leva a todos diretamente para onde Bran está escondido com seus amigos, tendo alguns problemas com Hodor, todos perto demais uns dos outros sem saberem. Para mim é uma das cenas mais angustiantes do episódio (e olha que…): os irmãozinhos estão ALI, ao alcance da mão, mas Jon passará batido (bom, ele precisa salvar sua vida também). E pensa em Ygritte: ele a tira da luta para que ela não precise matar seu povo pelas escolhas do amante, por mais que ela chore e grite pela traição. Ele cumpriu sua tarefa e está livre – mas não sem perdas pessoais, claro, e com o deleite de matar o cara que desconfiou dele. “E quer saber duma coisa? Você tava certo o tempo todo”. A cada dia, mais Jon e menos Floquinho. Isso é bom.

  • E Bran, que vai aprimorando suas habilidades mágicas, sabe que estavam perto de Jon, mas que não foi dessa vez que se encontraram. E tomou a decisão sensata: mandar Rickon embora para um lugar mais seguro. Rickon esse, chamado por aí de a Meg Simpson de Westeros, que teve mais tempo de cena hoje do que nas últimas três temporadas juntas. Mas talvez seja uma despedida e nunca mais o vejamos, também 😦

  • O prêmio de “sequência desnecessária da semana”, já que dá-lhe quebra de clima, vai para Dany e seus homens invadindo a próxima cidade, desta vez com bem menos resistência do que esperavam. Grey Worm foi quem mais me chamou a atenção em combate (o cara é bem bom!) e vemos ser Jorah, o Pedobear, afundando na lama da friendzone. Dane-se a cidade, kd Daario gatinho? E, meu amigo, um aviso: você não vai pegar.

  • E agora… a certeza do destino inevitável que um dia nos chama a pagar pelos nossos erros. É hora de pagar o preço pelos pecados – libertar Jaime Lannister, matar alguns aliados, ter rompido a aliança com os Frey por uma moça bonita, ter como vassalo um dos homens mais ambiciosos e maquiavélicos de Westeros. Tudo vai bem, Edmure tem uma noiva bonita, até tio Blackfish está feliz (e vai dar um mijão que lhe salva a vida), ambos são escoltados até o leito nupcial, as portas são fechadas e… A banda toca a música-tema dos inimigos. Catelyn percebe que há algo de errado. Olha para Roose Bolton ao seu lado, que está de armadura. Há algo de MUITO errado e ela percebe tudo quando é tarde demais.

  • A primeira vítima é Talisa, que pouco antes dizia a Robb que o bebê teria o nome do avô Stark. E a morte dela é a mais pertubadora de todas, apunhalada no ventre e sem reagir. Então não faz mais diferença quem ela era ou o que ela era, pois morreu junto do marido, então se era uma espiã o trabalho foi tão bem-feito que resolveram matá-la junto para não terem de pagar pelos serviços – e correr o risco de um filhotinho Stark por aí. É a senha para a matança generalizada.

  • Sobra até para o pobre Grey Wind, em sua casinha, tendo Arya como testemunha de seu último suspiro. Tão perto, tão quase, mas ela não se reuniu com sua família e agora isso não será possível nunca mais. Testemunhar a morte do pai, presenciar a morte da mãe, ver o arremedo de mundo que tinha desabar. Mas pelo menos ela está viva e com alguém que não lhe fará mal.

  • De volta ao salão, Catelyn também vê seu mundo desabar: os quatro filhos perdidos, o marido assassinado e agora o filho ameaçado. Em desespero, ela reage, mas em vão. Em desespero, ela vê o sangue do filho pelo chão, cortesia dos Lannister. Em desespero, ela é morta. E então, silêncio.

  • Como disse, não era um desfecho imprevisível, Robb cometeu erros cruciais para quem tinha pretensões maiores de poder. Invadir Casterly Rock também nunca foi exatamente uma boa ideia – mas desprezar aliados, como os Frey, como os Karstark, não era uma decisão muito melhor. Ser um idealista que se casa por amor, irreal para sua classe social e educação. Amor é para as classes baixas, não para um nobre que vende sua descendência ao aliado mais conveniente. Se ocorrer no casamento arranjado, ótimo, mas não é o que se espera. Amor é para as alcovas secretas, não para o trono. Infelizmente um preço precisa ser pago – e não é nada barato. Claro, houve outros erros essenciais – mandar Theon em missão diplomática, desagradar os Karstark e rachar a própria aliança – mas Robb Stark errou no básico, fazendo-o um péssimo concorrente ao Trono de Ferro. E fim. Fim do Jovem Lobo, melancólico, cruel, mas de maneira alguma imerecido. Os Stark saem definitivamente do tabuleiro – e agora, quem é o concorrente mais forte?

***

Até a próxima, com emoções menos fortes, espero!

Anúncios

10 Responses to Game of Thrones: Episódio 29 – The Rains of Castamere

  1. tessio says:

    Acabei de ver o episódio.. e acho que terei pesadelos hoje.

  2. Nábila says:

    Episódio incrível! Apesar de até o último momento eu ainda esperar uma festinha legal, um alívio do reencontro, o episódio deu mtas pistas do q ia acontecer.

    • Para quem prestou atenção, já estava tudo anunciado (mas mesmo tendo lido eu queria muito que Jon encontrasse os meninos e Arya visse a mãe e o irmão nem que pela última vez)

      • Nábila says:

        Teria que ser um malabarismo grande com a Arya, pq se ela chegasse no casamento, morreria tb. Mas bem q podia! Tá tudo mto pesado p ela!
        Tb torci pelo encontro dos meninos. Não entendi a parte do Jon saindo de cavalo depois q os lobos já tinham salvado a pele dele. Além disso, a Igritte já tinha apontado a arma p todo mundo, ele não se preocupou com ela na luta, não custava nada ela ter morrido. Achei o empurrão e ele ter deixado ela p trás, qd só faltava matar o último ruivão, meio besta.

  3. Mariana Ferreira (@marianasgf) says:

    Tb acho que terei pesadelos, mas foda-se Robb Stark, já estava mesmo enjoada da imbecilidade dele.

  4. Adriana Nascimento says:

    Uma pena terem cortado a ultima fala da Catelyn. Uma das mais tocantes de toda a série.

    ” Não, por favor não cortem meu cabelo, Ned adora meu cabelo!!!”

  5. fimdosmundos says:

    Ana,

    Acredito que sobre o assassino, Arya se referia a Jaqen H´ghar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: