Valente – Pixar

valente_7Todos os anos aparece aquele filme que é o mais esperado de todos: que você vê o trailer, se apaixona e espera ansiosamente pelo dia da estreia para conferir. Que, só pelas premissas iniciais, você já se apaixona e sabe que vai gostar. Valente foi este filme para mim em 2012: acompanhei os trailers, me apaixonei, não via o dia da estreia. Vejamos: uma protagonista fofinha (fofíssima), guerreira, que está aí para ser a dona de sua própria história.

Mas como quase sempre acontece nestes casos, me decepcionei um pouco com o resultado final. Não sei muito bem o que estava esperando, mas não era o que vi na tela. Só que algumas coisas que não eram o que eu esperava já me chamaram a atenção e o resultado final teve mais pontos positivos do que negativos. Enfim. Não é o típico filme da Pixar, com roteiros fantásticos como os de Wall-E, Up! ou Toy Story 3, mas um bom filme.

Leia mais deste post

Anúncios

Clube da Luta – Chuck Palahniuk

clube-da-lutaA primeira regra do Clube da Luta é não falar sobre o Clube da Luta.

Leia mais deste post

Férias

feriasVocês, como leitores, têm épocas em que não conseguem nem olhar para um livro? Pois é, eu tenho.

Adoro ler, é meu passatempo predileto (bom, acho que é meio óbvio), o que não significa que não tenha outros passatempos ou interesses e às vezes a diversão solitária de um livro não é o que desejo. Quero algo mais dinâmico como um filme, um jogo, um passeio, um esporte. Ou mesmo se não vou sair de casa ou fazer nada em especial: às vezes meu cérebro simplesmente está cansado demais para absorver literatura e pede férias de livros.

Ainda mais porque trabalho com leitura, interpretação de texto e às vezes tudo o que NÃO quero depois de um dia cheio de trabalho é ver um livro na minha frente, quando mais algum mais complexo que exija mais concentração. Lembro-me de um ano especialmente apertado da universidade, quando li oito livros de ficção em um ano inteiro. Muito mais do que a média nacional, eu sei, mas muito pouco para qualquer clube de amante de livros.

Hoje estou mais tranquila quanto a isso (a única coisa que invejo é velocidade de leitura, vejo essas pessoas que leem 100 livros por ano e acho a coisa mais utópica e impossível do mundo @_@), até porque para nada na vida existe fórmula, prazo ou jeito certo. Mais do que isso: se um prazer vira obrigação, ele imediatamente deixa de ser prazer. Se é forçado, perde o encanto. Então… para que forçar quando o corpo e a mente pedem outra coisa?

Aproveitei as férias, fiz outras atividades, recebi outros estímulos e finalmente estou conseguindo pegar livros novamente, de leve, aos poucos, querendo compatibilizá-los com mais um mundo de possibilidades.

Começar o ano aos poucos então, desenjoando dos livros e buscando o novo!

***

Até a próxima!