Educação sentimental

Não, ao contrário do que o título possa indicar, não se trata de uma resenha do clássico de Flaubert. É a reunião de alguns pensamentos soltos sobre alguns assuntos que perpassam todos os assuntos e a vida geral das pessoas. A busca da satisfação dentro de relacionamentos, claro. Mais especificamente… sexo.

A noção que se vende de relacionamentos e sexo é tremendamente irreal, para homens e mulheres (a abordagem é um pouco diferente). O príncipe encantado, a gostosa tesuda, o relacionamento lindo e livre de problemas com a única alma gêmea… Sinto informar, eles não existem. A potência sexual perfeita: ela também não existe. E somos tão forçados a acreditar em certas coisas que a expectativa acerca de um relacionamento se torna tão irreal e impossível de ser realizada que logo se encaminha a um profundo mar de frustração.

Leia mais deste post

Anúncios

Boletim Leitura Escrita #5

A leitora Luiza pede ajuda aos demais leitores do blog para que a ajudem numa questão que já foi muito debatida aqui antes. Ela está fazendo um TCC sobre a tradução de A Guerra dos Tronos e precisa de algumas entrevistas sobre a percepção da edição nacional pelos leitores. Quem puder ajudar, clique AQUI e responda às perguntas. É rapidinho e você a ajuda em seu trabalho!

***

Fora isso, estamos na reta final de setembro, outubro já está ali na outra ponta da cerca (setembro sempre foi um mês demorado para mim, mas esse ano passou voando. Aliás, agosto também se foi em um pulo). Essa é aquela hora em que você começa a avaliar o que pode fazer até o fim do ano e o que terá de ficar para o ano que vem. No caso do blog, os livros. Essa é a hora de avaliar o que comprei esse ano, se poderei comprar alguma coisa ainda (ou pegar emprestado), quais livros estão pela metade e seria bom terminar…

Temos as metas de leitura, também. As duas paralelas que me propus esse ano (do Desafio Literário e uma outra que era antiga mas só esse ano vi que daria para cumprir, finalmente!) estão indo de vento em popa e provavelmente serão encerradas com sucesso (ainda que no caso do Desafio não tenha lido todos os livros que gostaria, tive de substituir outros, etc, mas farei um post só sobre ele em dezembro, com tudo cumprido). Mas vi que vários livros, por mais que eu não queira, ficarão nas estantes e algumas metas secundárias serão atropeladas, snif snif!

E vocês? Costumam fazer metas de leitura? Quem veio aqui no blog e disse que faria, conseguiu/está conseguindo? Já perceberam que tem livros na estante para o ano que vem inteiro e quem sabe o outro, mas ainda assim o número continuará crescendo? Já começaram a planejar como será 2013? Todas essas perguntas e muitas mais!

***

Até a próxima!

O Rei do Inverno – Bernard Cornwell

Em primeiro, primeiríssimo lugar, tenho de pedir desculpas pelo hiato. Sabem como é, faço o blog sozinha e quando as coisas apertam tenho de parar com tudo. Bom, pelo menos estamos de volta 🙂 E eu tinha avisado pelo twitter e pela página do facebook que estaríamos em recess. Você não segue/não curtiu??? Corrija isso A-GO-RA e clique nos botões aí na coluna do lado!

Mas falando do livro de hoje, não posso dizer que não seja uma pessoa tolerante. Como vocês podem conferir aqui e aqui, minhas experiências anteriores com o Bernard Cornwell (de quem sempre tinha ouvido falar muito bem) não foram exatamente muito proveitosas. Só que sempre ouvia: “leia a saga arturiana dele, é muito boa, você vai gostar!”e isso ficou na minha cabeça. São mesmo, pelo menos no Brasil, os livros mais famosos dele, então resolve dar o benefício da dúvida, aproveitar uma promoção e conferir qual era a do livro (e bom ressaltar que essa tal promoção aconteceu em marco do ano passado e o livro só saiu da estante porque encaixava-se em um dos temas do Desafio Literário, mas detalhes).

Leia mais deste post