Game of Thrones – Episódio 20: Valar Morghulis (HBO)

Se o episódio passado foi eletrizante, muito foi prometido para o último episódio da temporada (ou season finale como se diz no jargão). Se toda a batalha da semana passada foi incrível, o que esperar do fechamento da temporada? Várias perguntas continuavam sem resposta: Dany recuperará seus dragões? Bran conseguirá escapar? Theon Greyjoy ficará impune? Tyrion está vivo? Tudo isso e muito mais no resto do post…

  • Antes de qualquer coisa: esse foi um episódio cheio de cenas fortes e achei difícil escolher só uma imagem que sintetizassem os personagens e os acontecimentos em geral. Várias e várias poderiam ter sido as escolhidas, mas este sem dúvida foi o momento mais tocante da noite (que teve vários outros), então mesmo sendo mesmo spoiler, não havia outra escolha.
  • Todos os personagens ainda vivos que apareceram nos créditos principais reaparecerão hoje, o que explica bastante alguns episódios em que pareceram “segurar a mão” para deixar as cenas finais para hoje, por mais que alguns só façam uma apariçãozinha rápida.
  • Para alívio geral de todos, Tyrion está vivo (não, eles não matariam dois protagonistas em duas temporadas), e está sendo recepcionado por um vingativo Pycelle que quer mais é dançar o samba do troll na cara dele. Não, ele não é mais Mão do Rei, não, ele não está mais no poder, sim, no jogo dos tronos ele perdeu. Por sorte ele tem Pod, o escudeiro fiel, com ele, mas de resto… O poder se foi. O protagonista da temporada viveu sua ascensão em queda: o que ele fez para salvar o reino, a cidade e a família será esquecido pela história e agora ele está relegado a um cantinho. A percepção disso, na conversa com Varys, é uma cena doída de se assistir, ainda mais quando coroada com a aparição de Shae e uma cena muito forte: ela o chama para irem embora, ele recusa, ela escolhe ficar com ele e ele se esvai em lágrimas. Acabou o sonho. Não foi dessa vez.
  • Na sala do trono, os vitoriosos da guerra são premiados (só senti falta de Ser Bronn of Blackwater) e uma proposta é feita: Margaery Tyrell deseja se casar com Joffrey Baratheon e unir as famílias – e quem adora muito tudo isso? Sansa Stark, mas sua alegria não dura muito tempo. Littlefinger a persegue para avisar que não, as coisas não serão tão simples assim, ou ela acha que ele perderá a oportunidade de se aproveitar dela? Mas ele, o sujeito mais creepy da série, está lá para ajudá-la…
  • Varys por sua vez tenta atrair Ros, a proverbial puta ruiva, para sua rede. Pior que essa cena juntada com outra deste episódio me trouxeram um futuro desenvolvimento bem diferente do livro, mas que seria interessante de se ver na tela…
  • O outro protagonista de temporada, na minha opinião, também tem o final que plantou e colheu. Theon Greyjoy ainda tem uma opção: fugir e ingressar na Night’s Watch, onde não farão muitas perguntas, mas ele teme a vingança de Jon Snow. Assim, motiva seus homens para a batalha vindoura, faz um belíssimo discurso sobre a guerra, sobre estarem vivos, sobre como deveriam se entregar à luta e… POF! Nem seus homens o aguentavam mais. E é isso. Ele pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão, mas não conseguiu convencer à família biológica ou ao povo das Ilhas de Ferro. E terminou sem quem realmente importava para ele, trilhando um caminho sem volta e sem perdão e sem respeito nenhum por quem quer que seja, simples assim. Um dos personagens mais detestáveis da série e o mais digno de pena, sem dúvidas (e uma atuação magistral de brinde).
  • Brienne continua escoltando Jaime e agora eles passam por um pequeno contratempo: são descobertos por três soldados rasos Stark que mataram três mulheres. Os três são mortos implacavelmente pela guerreira, diferente do livro, no qual o primeiro assassinato dela requer páginas e páginas de mimimi, mas bem coerente com a personagem (eles não são soldados honrados, pois mataram três mulheres inocentes, e representam uma ameaça à sua vida e de seu prisioneiro) e mostra que nem todos os Starks são bonzinhos. Esperando muito mais desta dupla na temporada que vem.
  • Stannis perdeu a guerra e tem a sorte de estar vivo e em casa. Ele parece perceber que matou o irmão seguindo os mandames de um deus desconhecido e de uma sacerdotisa estrangeira. Ela avisa que a guerra é assim mesmo (ela já viu muitas, não duvido que já esteja viva, ou não-viva, há algumas centenas de anos) – e quando ele tenta matá-la, em vão, ela o mostra o futuro nas chamas… e parece ser algo bem interessante de se ver.
  • Achei que ficou faltando uma coisa no episódio: nenhuma palavrinha sobre o que aconteceu ao Davos? Nem uma ceninha de, sei lá, um minutinho dele acordando numa praia? Ou na série ele morreu pra valer, sendo que ainda há trabalho a ser feito pelo personagem?
  • Robb e a Esquisita casando: zzzzz. Para piorar: ele vira pra mãe e “ó, vou me casar com a esquisita que conheci de bobs e que se dane o acordo político com lord Frey, ok? A gente manda uns bem-casados pra ele se for o caso”, ela tenta pôr um pouco de juízo naquela cabecinha ruiva, ele responde com “quem é você pra falar em juízo, lalala” e se casa assim mesmo. Ele REALMENTE acha que vai muito longe sendo um rei assim? O que o pobre maester Luwin andou ensinando pra esse menino nas aulas de política, sério? Ou ele ficava preocupado em trocar bilhetinhos com o Theon Greyjoy? Porque sério, é burrice demais, falta de noção demais… mas enfim.
  • Arya conseguiu fugir (bom, no oitavo episódio da temporada o arco dela já estava resolvido, né) e agora está no ermo com seus amigos. Jaqen H’garr, o assassino misterioso, antes de se despedir dá a ela um souvenir e avisa que se quiser conhecer os Homens sem Face bastará entregá-la para alguém de Braavos. Quem sabe assim ela poderá se vingar de quem deseja, ele avisa, antes de mudar de rosto e de identidade e seguir com seus afazeres…
  • Continuando o destino dos Starks, Bran e Rickon fogem por uma Winterfell em chamas e encontram o agonizante maester Luwin, que lhes conta todos os últimos acontecimentos e aconselha que fujam, encontrem Jon e fiquem em segurança. Para os meninos, mais uma figura querida que se vai (mas de quem eles ao menos podem se despedir) e a casa destruída que não os protege mais, uma dessas cenas de embaçar os olhos de tão emocionante. E uma aparição dos lobos, também (olha, eles ainda existem)…
  • A Casa dos Imortais fez muitos puristas arrancarem a calcinha pela cabeça e sapateá-la, mas vamos lá: primeiro, não dava para recriar o clima de LSD com cogumelos da passagem do livro na série, dado o tempo e os recursos disponíveis. Segundo, está aí uma sequência que em narrativa soa boa, há tempo de várias explicações preliminares, o que não acontece aqui. Terceiro, a cena no livro é extremamente visual e aqui traria 1) spoilers indesejados e muito óbvios; 2) um dodecilhão de informações de background para explicar ao leitor de última hora (do tipo: quem é Rhaegar mesmo?); 3) informações que podem ser passadas de outra forma em outras circunstâncias e que podem esperar mais tempo para vir à tona (SE É que a profecia realmente precisa, ao menos na série de TV, por exemplo).
  • Mas indo às cenas em si, um Trono de Ferro em ruínas e com a neve caindo sobre ele… O inverno chegou, afinal. Saindo de lá, a Muralha, e numa barraquinha aos pés dela, Khal Drogo (\o/) e Rhaego, o bebê (COISA MAIS LINDA GOSTOSA MORDÍVEL) deles. Impossível impedir uma lágrima solitária nesse momento, em seu momento sonho-despedida-delírio, e talvez simbolismo: o inverno, a morte aos pés da Muralha e que, quem sabe, o Trono de Ferro não é  *exatamente* o que ela mais quer (ou que o trocaria por uma vida tranquila com seu amado marido e seu filho) ou quando ela consegui-lo, já não terá importância/sentido. (fora que para certos teóricos da conspiração, várias dicas estão lá para quem quiser ver… bebê Targaryen de cabelos negros incluso :P).
  • Por fim, a revelação de que o feiticeiro roubou sequestrou os dragões porque, além de arma de guerra, eles, como criaturas mágicas, fazem com que seus poderes se intensifiquem. E não poderia deixar de dizer: como os dragõezinhos são lindinhos! Como a CG ficou bem feita! Só a parte do DRACARYS! que poderia ter ficado um pouco melhor, mas não prejudicou.
  • Para Dany, a temporada terminou parecida com a passada: os traidores foram punidos (Xaro Xhoan Daxos e sua aia Doreah) e Daenerys segue como grande conquistadora, partindo com o que resta de seu povo para tentarem, quem sabe, um navio na próxima cidade visitada…
  • Nessa hora achei que já tivessem esquecido do Jon, mas não. Ele e Qorin Halfhand seguem presos e o mentor o provoca para uma luta sangrenta. A única linha que merece crítica é essa: foi tudo muito rápido, para um não-leitor deu para perceber que foi tudo um plano para que ao menos um dos dois corvos saísse vivo dessa? Porque passou bem batido, bem provocando o Jon do nada para ativar seu modo Jonjonzinho Floquinho (que GRAÇAS AOS DEUSES ANTIGOS E AOS NOVOS parece que se foi nessa temporada) e ser morto. Após matar um aliado, nosso floquinho chega aos domínios do Rei Além da Muralha…
  • Por fim, a cena final. A CENA FINAL!!!!!!!!!!!! Sam, Pyp e Edd fazem seu trabalho procurando adubo para acender fogueiras, papeiam sobre banalidades e ouvem – PÁ!, um sopro. – PÁ!, dois sopros. – PÁ!, três sopros. O que só pode significar uma coisa: corram por suas vidas!
  • Sam não tem um excelente preparo físico e fica para ver… UM EXÉRCITO DE ZUMBIS E WHITE WALKERS MARCHANDO PARA A MURALHA O__________________O. Um dos Outros lança a ele um olhar de desprezo e segue reto (o Sam ainda está vivo, né, né, NÉ?????) e o exército de criaturas macabras segue para seu destino final. ARREPIANTE!!!!! Nossa, ficou indescritivelmente bom, assustador, agonizante, de novo estão perdoados por não terem mostrado os lobos e os dragões esse tempo todo! Fechou com chave de ouro a temporada e olha que seria difícil ser mais incrível do que a temporada passada! Esse ano vai demorar a passar, quero mais episódios, necessito mais episódios!!!

    *

    Até a próxima!

    E não se esqueçam: ainda vai ter o fechamento geral da temporada, quarta ou quinta-feira, então voltem para debatermos com mais calma!

Anúncios

24 Responses to Game of Thrones – Episódio 20: Valar Morghulis (HBO)

  1. Marcela says:

    O tamanho da dor no coração pelo tempo que ainda está por vir até a próxima temporada….
    (Especialmente pq estou terminando o terceiro livro e OHMYGOD, taaantas cenas incríveis estão por vir… MAS TANTAS!!!)
    Esse episódio foi cheio de cenas de encher os olhos de lágrima… Tyron, que não perdeu o nariz, e Shae, simples e lindo. A cena dos meninos com o Meistre Luwin igualzinha ao livro, na frente do represeiro, fotografia impecável… aff.
    Gostei das cenas da Casa dos Imortais… Definitivamente era impossível recriar o livro, como vc disse, LSD demais. Ficou mais simples, porém mostrando as mesmas coisas. Morro com Drogo e Rhaego. E DRACARYS!
    A parte do Jon e do Meia Mão realmente ficou confusa pra quem não leu. Mas agora ele tá lá, no meio dos selvagens… E QUANTOS SELVAGENS!!

    Cena final: ÉPICA!!!! Meeeeeeddooooooo!!!!!

    Samzinho há de ficar a salvo, com certeza…. hahahahaha

    ;D

    • Marcela says:

      Aaaah, quase esqueci: Robb e Jeyne: REALLY? BORING vezes mil.

    • Luque says:

      Li em diversos sites de comentários sobre a série que a luta entre Jon e Qorin não foi bem explicada pra quem não leu o livro. Eu sou um dos que não leu o livro e gostaria realmente de alguma explicação que justificasse essa luta e a morte do Meia-Mão aparentemente desnecessária.
      Alguém ajude, por favor!

      • Mais ou menos o seguinte: o Qorin percebeu que os dois juntos não sairiam vivos, então que ele ao menos preservasse o Jon, que no livro é um pouco mais proativo. Daí ele combina com o Jon o seguinte: que ele teria de matá-lo para parecer aos selvagens que ele estava disposto a ficar do lado deles. Então a morte é mais ou menos encenada como uma disputa entre ambos, com o Jon ciente, ainda que discordante, do que deveria fazer e por que estava fazendo. Na série ficou corrido demais.

      • Marcela says:

        A ideia é que já que nenhum dos dois sobreviveria, pelo menos um deles poderia estar infiltrado dentro dos Selvagens, e, numa oportunidade poderia tentar fugir e alertar os da Patrulha do Norte a cerca dos planos dos que estão Além da Muralha….

    • Pelo menos você ainda tem dois livros para ler para matar a saudade, né, pra dar uma aliviada… 😦

    • Ariel Marlin says:

      Querida Marcela, e dignissimos deste espaço…

      Cena do Snow e o Half-Hand, opsss.. nao ficou nada confuso..
      para quem tem memoria, o meia mao havia dito, “se vc souber o que fazer” ao snow…

      e neste ultimo episodio, lutaram até um deles morrerem, ou seja, ganha confiança dos selvagens e sai vivo até então, desta parada…..

      ah, nao leio o livro (os livros de TI nao me permitem isto) mas, só de ouvir a voz da Ygritte me dispensa qualquer livro… que voz PERRRFEITA, eita ela sussurrando em um ouvido e paula fernandes no outro… (sonhos são para serem sonhados….)

      enfim

      esperaremos mais, abraços a todos…

      • Que bom que tivemos uma opinião de um não-leitor aqui! 🙂

        E eu sou mulher e heterossexual, mas concordo que acertaram na escalação! Hehehe

      • Marcela says:

        Sim, realmente eles tiveram essa conversa, mas como teve o episódio da Blackwater no meio do caminho, muita gente nem lembrava…

        Ygritte realmente foi muito bem escolhida!! Linda!
        (Apesar de que, pra alegria geral masculina, ela pouco se parece com a selvagem que deveria ser feia e desdentada… hahahahha)

  2. Marcos Panontin says:

    Eu adorei o episódio.

    – Foi a primeira cena em que eu senti um relacionamento de verdade entre a Shae e o Tyrion. O Varys reconhecendo o que ele fez foi bem bacana. O ator que faz o Aranha se aproxima do afetado para então recuar um pouco: bem bom.

    – Achei toda a mudança na trama da Dany uma boa sacada. A viagem dela pela sala do trono, pela muralha e pela cabana é visualmente linda. Só achei que foi fácil demais vencer o Pyat Pree. Era só falar “Dracarys”?

    – Que final foi aquele? É a coisa mais genial trazerem o primeiro capítulo do terceiro livro pra cá: um ótimo final. Que White Walker incrível. Só achei que tinha muita criatura ressuscitada pra pouco Walker. Terminarem uma temporada com o Sam é reconhecerem ele como um ótimo personagem interpretado por um ator que faz um bom trabalho. Ele se maravilhando no Punho dos Primeiros Homens alguns episódios atrás é genial – ele falando da Gilly aqui tbm é bem bacana.

    – Acho que o conflito do Theon pode ser explicado por duas falas que apareceram exclusivamente na sériee: Bran perguntando “Did you hate us the whole time?” e o Theon respondendo pro (agora morto) Luwin “Do you know what it’s like to be told how lucky you are to be someone’s prisoner?”

    – Robb, você é muito legal, mas a burrice é a herança genética dos Stark.

    • Marcela says:

      “Burrice é herança genética dos Starks”

      Define tudo!! hahahah

      PS: acho que a única exceção é a Arya, a mais espertinha de todos….

    • Concordo com tudo! Sobre o Theon, acho que a frase do Bran o arrebentou por dentro e talvez tenha sido uma das mais fortes da temporada inteira. Achei que enriqueceram bastante o personagem o mostrando dessa forma (vou voltar nisso ainda), trouxeram muito mais vida ao personagem, muito mais que os capítulos do livro (e lá, mesmo o achando um estúpido imbecil traíra, eu já tinha pena dele)…

  3. Bruno says:

    Minha única ressalva mais séria com esse episódio, no sentido de mudança dos livros e tal, foi a cena do Joffrey trocando a noiva dele. No livro dá pra ver melhor a pressão do Tywin, que por mais que ele gostasse da bonequinha de bate-bate dele era melhor política e estrategicamente se unir com os Tyrell e blá blá blá. No episódio ficou tudo meio… Tosco =P Ficou parecendo encenação pra quem não dava a mínima em primeiro lugar mesmo. Apesar de que a entrada do Tywin com o cavalo fazendo necessidades fisiológicas no portal ficou perfeita, hahah.

    • Mas pior que gostei do tom de encenação de alguém que não está dando a mínima, de certa forma, apesar de preferir o livro… Porque acho que soou propositadamente falso, do tipo “vamos refazer as alianças, todos aqui concordamos, mas tem de ter uma encenaçãozinha tosca que não vai colar para ninguém só pro forma“. Até porque como o Littlefinger bem apontou, ele não vai dispensar a bonequinha de bate-bate da cama dele…

  4. Sauro Valentim says:

    Só eu reparei ou todo mundo notou que o “general” dos white walkers é a cara do Jeor Mormont??? Até o olhar com uma sombrancelha caída ele tem!

    • Marcos Panontin says:

      Muito bom.

      Verdade, senti falta do pêssego. A série mostrou não exatamente um Renly jovial, e sim um mais inseguro. Tudo bem que isso pode ser explicado pelo fato de nos livros só o vermos em público, quando é preciso manter as aparências.

  5. Laura Abreu says:

    Apesar das diferenças entre o livro e a série da TV.. Só duas coisas a dizer… a 2a temporada foi perfeita! E agora é esperar a 3a temporada… Mas enquanto ela não começa vou começar a ler o 3o livro para matar a curiosidade do que vai acontecer.. que já está me Consumindo! E Ana Carolina.. mais uma vez parabéns pelas resenhas..

  6. tessiof says:

    Não sou um leitor da série, mas digo que a cena do Snow com o Halfhand deu para entender muito bem sim. Para mim, o que não deu para entender na verdade foi:

    1- Como o Stannis escapou? O cara tava do lado de dentro dos muros, sozinho e destemido, quando seus soldados foram dizimados na praia. Ele se teletransportou de volta pra casa?

    2- Pelo que eu vi, o pessoal das Ilhas de Ferro tocou fogo na cidade, entregou o Theon em troca de “imunidade” e rumou pra casa. Por que a trupe do Bran precisa ir para a muralha? Por que eles não se juntam aos 500 soldados do norte que estavam ali perto?

    • 1) No episódio anterior tinha uma cena em que colocavam o Stannis numa canoa depois de terminado o combate, então ele escapou com explicação.

      2) Pois é, ficou mal explicado mesmo. O que dá pra achar é que o Maester Luwin achou mais seguro que eles fossem encontrar pessoas 100% confiáveis e ainda o irmão deles, o Jon Snow, que não os trairia (além do que a Muralha fica mais perto do que os campos onde o Robb está)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: