Game of Thrones: Episódio 16 – The Old Gods and the New

Confesso que esse foi o primeiro episódio da série que me deixou realmente sem fôlego! Mais do que sem fôlego: ANSIANDO a chegada da semana que vem e do próximo episódio! Se as mudanças na história estavam sendo sutis (supressão de plots, de personagens terciários e aceleradas gerais na trama), agora tudo mudou. Agora, ninguém mais está seguro, nem mesmo os fãs que leram os livros.

  • Primeiro, Winterfell foi tomada e a sequência inteira da nova direção do castelo é de uma angústia imensa. Inicia-se com a pergunta de Bran para um Theon Greyjoy que tenta provar para o mundo, para si mesmo e para quem quer que seja que é uma pessoa importante: “você sempre nos odiou?”. Não é uma pergunta que tenha resposta. Segue a cena, com a rendição de Bran, uma criança aleijada sentada imóvel em seu trono debaixo de chuva e quando tudo parece que não pode ficar pior o bravo Rodrik Cassel é capturado e Theon fica numa sitação perde-perde clássica: ou desagrada seus comandados, mantendo-o vivo, ou perde para sempre o povo de Winterfell. A segunda opção não é uma escolha fácil, tampouco a execução suja e dolorosa, entremeados pelos gritos distantes das crianças que só podem assistir à morte do tutor e não fazer nada. Sequência muito, muito forte, muito bem dirigida e atuada e irrepreensível.
  • Um detalhe: no final dela estava sentindo tanto ódio pelo Theon que me perguntava onde estão os dois direwolves da família. De bobeira por ai? Caçando esquilinhos? Tem é de pular na jugular desse fdp. (pior que o Theon ainda é um dos personagens de quem mais sinto pena na série, pelo balanço geral, mas não dá para não sentir raiva dele)
  • Cortamos para as belíssimas paisagens da Islândia (cada centavo gasto na viagem valeu a pena, o céu é maravilhoso, as montanhas de neve também, quero passear lá!) e finalmente alguém está enquadrando Jonjonzinho e mostrando que ele é uma toupeira (existem toupeiras na neve?). Para continuar sua toupeirice, eis que aparece a exuberante selvagem ruiva Ygritte, que joga na cara dele da maneira mais pragmática possível o quanto ele é meio devagar na vida. Bem diferente do livro, na qual ele a deixa fugir e tudo fica bem, aqui temos uma conjunção de fatores: como parte de sua educação (ou ao menos foi assim que interpretei), Qhorin Halfhand vira e diz: te vira aí, mermão, mata a moça e não vamos ficar vigiando você fazer sua obrigação.
  • Claro que Jon Snow não consegue matar sua cativa, que, ao contrário do livro onde da primeira vez que ela o vê já fica toda ❤ ❤ <3, aqui ela percebe que é um corvo iniciante, meio sentimental e que se ela forçar a barra um pouquinho consegue fugir. Há uma tentativa noturna de sedução, em vão. Achei engraçado aqui o paralelo com Samwell: ao que parece, Jon apresenta uma tensão sexual com a primeira garota de quem chegou mais perto na vida (lembrem-se que na temporada passada aprendemos que ele é virgem, puro e casto, apesar da carinha bonitinha e dos cachinhos cuti-cuti. Como eu sempre digo, quem vê cara não vê vida sexual)…
  • Agora temos Arya, um tesouro que Tywyn Lannister tem e mãos e não sabe. Até estou gostando da participação ampliada do patriarca na história, já que o conhecemos nos livros principalmente pelo que as pessoas dizem e não por suas ações. A única coisa que me deixa de orelha em pé é o tom “vovozinho legal” dele com a Arya, por mais que ele a veja no máximo como um cachorrinho engraçadinho. A interação entre os dois atores é fantástica e diálogos como “o que matou seu pai?” “lealdade” também estão em cima.
  • Houve também a participação especial de Littlefinger (coisa que não acontece no livro) sendo colocado NO BOLSO pelo Lannister pai – e uma amostra de como a situação da Arya é perigosa, que se confirma na cena de perseguição seguinte.
  • Por falar na perseguição e posterior morte de Amory Lorch, vi por aí quem achasse a cena malfeita. Tenho de concordar, achei meio forçado que ele a perseguisse e não colocasse mais ninguém atrás dela, ou mesmo que Arya fugisse por aí com a carta (ao que parece iria mostrar pra Gendry ou sei lá). Achei que forçaram a segunda morte, mas não me incomodou a identidade do morto, principalmente porque a cena épica protagonizada por Lorch no livro 3 pode ser feita por alguém mais fresco na memória do espectador sem prejuízos.
  • Em King’s Landing, Myrcella é obrigada a partir e Cersei ameaça nada sutilmente Tyrion sobre ter sua filha afastada de si. A seguir… THE ANGRY MOB /o\. A cena não parece tão forte quanto nos livros, a ausência de cavalos nas gravações prejudicou um pouco (cêjura que não tinha uma carruagenzinha para a nobreza, né?), mas é interessante como a prioridade de Tyrion seja proteger o príncipe Tommen. Talvez seja educativo para Joffrey tomar bosta de cavalo na cara e gritar MATEM TODOSSS no melhor estilo rainha de copas.
  • EU NUNCA VOU ME CANSAR DE VER O JOFFREY APANHANDO. NUNCA. CADÊ O GIF ANIMADO????
  • Mas para alguém a revolta popular não foi nada agradável (além do sacerdote esquartejado pela população em fúria): Sansa Stark, que escapou por pouco – BEM POUCO – de um estupro coletivo. A cena também ficou forte e bem-feita, ainda mais levando em consideração que a atriz tem realmente 15 anos de idade e expressou todo terror que uma situação dessas proporciona. Claro, The Hound salvou o dia – e por alguma razão minha mente associou a cena àquela no A Bela e a Fera da Disney na qual a Fera salva a Bela de um ataque de lobos (sim, eu sou SanSan shipper mesmo e não estou nem aí).
  • Ainda sobre Sansa, acho que a cena seguinte em que ela conversa com Shae uma das primeiras em que vemos ambas as personagens sem suas máscaras de segurança. Em que Sansa demonstra toda ingenuidade ao achar que seus agressores possuíam algo pessoal contra ela e que grita com todos os pulmões: “EU ODEIO O REI!”, apenas para ser alertada por Shae (talvez a primeira vez em toda a série que a personagem revela um pensamento honesto): para sua sobrevivência, não confie em ninguém. Um conselho que a Sansa do livro deveria ter recebido (e interiorizado) mais cedo.
  • O que me leva a uma consequência lógica: qual vai ser a função de Dontos Hollard no seriado SE É que ele vai voltar a aparecer? O personagem se esvaziou completamente, na minha opinião.
  • Enquanto isso, Robb mostra uma quedinha pela misteriosa (e esquisita) Talisa de Volantis. Ela pode ser até mesmo a Jeyne Westerling sob nome falso, mas acho o romance entre os dois, do jeito como se coloca, meio bobo. Ah, o rei que se apaixona pela espiã que muda de lado porque acabou se apaixonando ou qualquer coisa que o valha? Sério? No livro pelo menos fica aquela aura de romance juvenil e Jeyne, principalmente nos Eventos Futuros que Seguem, demonstra um pouco da inocência juvenil que vai parecer completamente fora de lugar com uma personagem mais velha e esperta. É uma linha narrativa que quero ver como os autores do seriado farão chegar em seu clímax, porque sinceramente não sei.
  • E Catelyn lembra a Robb que ele não pode ir dar uma surra em Theon pessoalmente, nem mesmo casar com a garota que ama. Ser rei tem mais desvantagens do que vantagens, afinal.
  • Por fim, Osha orquestra o plano para fazer Theon Greyjoy de bobo e fugir com Bran e Rickon bem debaixo de seus olhos. Parece que os irmãos Reed desapareceram mesmo, mas ao que parece pelas cenas do próximo episódio as coisas não serão tão simples. A aguardar, também +_+
  • Finalmente… duas coisas. Daenerys que não é vista como uma menina fofinha pronta a ser ajudada pelo Spice King – ele deixa isso bem claro, “por que vou ajudar você? Vou ganhar o que com isso?”. Não basta ser idealista para se dar bem no mundo, há uma dose de pragmatismo necessária, que ela já deveria ter aprendido mas ainda não é tarde. E por fim… O ROUBO DOS DRAGÕES!!!!!!!!! Quem esperava por isso??? O.O Sério, eu fiquei completamente O.O na cadeira!!! Uma mudança DRÁSTICA dos livros (com a morte de Irri inclusa) e que quero ver onde vai dar!

Até a próxima! E domingo que vem já está demorando demais!

Anúncios

8 Responses to Game of Thrones: Episódio 16 – The Old Gods and the New

  1. Roubo…
    de…
    Dragões…?
    D:

  2. Marcela says:

    O TANTO QUE EU DEI F5 NO SEU BLOG ESPERANDO POR ESSE POST!!! Pra surtar junto!!!
    O quanto demora pra chegar domingo?!?!?

    Sem fôlego, não conseguia DORMIR depois de ver o episódio. Agora vai ser assim até o final!

    E o roubo de dragões?! OI? Mas acho que fizeram isso pra ela ter um “motivo” pra ir pra Casa das Ilusões… E vai acabar pegando eles de volta lá, enfim, sei lá.
    Acho que esse roubo foi só pra conseguir um final “UOWWW” no episódio da TV.

    Beijos!

    • Tb acho D: Até pra trama dela lá em Qarth ficar mais animadinha, já que é basicamente ela passeando, no livro… Mas isso pra mim é prova de que eles podem mudar os livros, tem autorização pra isso e vão fazer D:

  3. Maurício says:

    Gostando muito de acompanhar teus posts!

  4. deoveki says:

    Os irmãos Reed cadê?
    Roubaram os dragões!? WTF

    Acho boa essas mudanças que a HBO faz, porque ai tenho emoções ao assistir e trombar com coisas que no livro eram diferentes!!!!
    Ótimo blog!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: