Por Favor, Cuide da Mamãe – Kyung-Sook Shin

Este é um desses livros que me chamou a atenção pela capa – muito bonita. Estava passeando pela livraria e o vi em uma das ilhas, mas talvez o que me chamou mais a atenção do que a capa foi o fato da autora ser coreana. Não me lembro de já ter me esbarrado com um escritor coreano (com quadrinhistas sim, mas não com escritores), então resolvi passear um pouco por aquele canto do mundo e ouvir o que este livro tem a dizer sobre sua terra natal.

A história também me chamou atenção, pelo tema pesado, porém tratado de maneira delicada: a senhora Park So-nyo, de 69 anos e portadora de uma doença degenerativa, desapareceu no metrô quando foi visitar os filhos em Seul. Era para ela estar atrás do marido, como sempre, mas ele não notou que a deixou para trás ao chegar ao destino. Assim, os cinco filhos e o marido se empenham em procurá-la, já que ela não saberia ir a nenhum lugar da cidade sozinha e ela está exposta a todo tipo de perigo.

Enquanto procuram por ela, sem saber por onde começar ou qual pista seguir, todos refletem sobre o papel da mãe na vida deles e sobre o quanto a negligenciaram, em especial nos últimos anos. É um pouco daquela máxima de só dar valor ao que tem ao se perder: a importância e presença da mãe na vida de cada um, assim como seu caráter e os sacrifícios realizados para o bem da família só se evidenciam com seu desaparecimento.

Segue-se então uma história que mistura saudade, lembranças e culpa sobre a mulher que abriu mão de parte de sua individualidade (até mesmo seu aniversário era comemorado junto ao do marido para maior comodidade de todos), sua aparência (estava sempre com a roupa de trabalho e um lenço amarrado na cabeça para conter o suor) e sua saúde (relutava em ir ao médico para não incomodar aos demais e sua posição sempre subordinada fez com que todos menosprezassem o potencial destrutivo de sua doença) para o bem-estar de toda a família. Não que ela se dobrasse a tudo, como as lembranças demonstram, mas como ela se tornou uma parte da paisagem para que os filhos fossem bem criados e alimentados e sucedessem na vida, ao ponto de ser esquecida e deixada de lado por todos.

É também um retrato da Coreia, da família que durante a guerra vivia na zona rural e de acordo com as tradições rurais (de cultivar o solo, criar animais para estimação e para comida – não, ao contrário do que diz o estereótipo nenhum cachorro é consumido nesse livro, pelo contrário, são animais de guarda e companhia – viver em casas de madeira e papel), mas que ascendem socialmente e que na geração seguinte passam para uma realidade urbana: apesar das dificuldades, todos os filhos vivem em Seul e têm bons empregos, quase todos possuem nível superior e um conforto e renda bem melhores do que as de seus pais.

Uma nota interessante é também a forma de narrativa da história: em segunda pessoa. No começo é meio difícil de se acostumar, mas logo a leitura flui com tranquilidade – e no final descobrimos quem, afinal, é o narrador.

É uma história sobre uma família que não deu valor à mãe que em tudo se sacrificou, e sobre o quanto reconhecem isso apenas quando já é tarde demais. Não pude deixar de pensar na minha própria mãe e nas minhas avós ao ler o texto: os filhos de certa forma a desprezam por ser uma roceira analfabeta, dizendo que “não conhece as coisas da cidade”, mas não percebem que tudo o que possuem partiu dela e de seus esforços. Pensei nos choques de gerações inevitáveis que acontecem em toda família, e como os mais jovens e instruídos às vezes tendem a se colocar numa postura arrogante que sabem de tudo só porque estudaram mais e estão mais por dentro do zeitgeist. Pensei também sobre como o tempo de aproveitar e dar valor é esse – o amanhã é tarde demais. E de como sacrifícios foram e são feitos todos os dias, mas que não são cobrados dos filhos – são feitos simplesmente por entender que só assim todos poderão crescer e se desenvolver melhor.

É um livro triste, porém doce, e muito próximo de nossas mães reais. Já aviso que até não foi meu caso, mas podem preparar os lencinhos (ou mesmo os baldes) para essa leitura.

***

Até a próxima!

Anúncios

11 Responses to Por Favor, Cuide da Mamãe – Kyung-Sook Shin

  1. Júlia says:

    Li sobre este livro em uma revista e desde então fiquei curiosa. Vou preparar o lencinho…

  2. janafossi says:

    Estou tentando ler esse livro agora, mas tá díficil, viu?! Não sou fã de literatura oriental e estou achando tudo muito exagerado. Todos de alguma forma foram horríveis com a mãe e quando eu simplesmente não gosto de todos os personagens de um livro, fica mais complicado de ter vontade de ler. Ai ai, espero que melhore até o fim.

    • Eu achei muito triste a história de vida dos personagens e já testemunhei na vida real pessoas tratando a mãe de forma igual ou pior do que os filhos… E tem de levar em consideração um pouco tb que todos eles estão realçando as culpas depois que ela sumiu. Mas prossiga!

  3. Esse livro faz o meu perfil. Obrigada por apresentá-lo ao DL.

  4. Adorei a resenha. tão completa. Ainda estou lendo o livro e adorei saber que alguém gostou do livro.
    Beijos

  5. Pingback: Minha descoberta de hoje « Vou mochilar!

  6. Suely Ramos says:

    O livro nos prende, nos cativa. Sua leitura faz a emoção transbordar. Nos faz pensar nos valores, na família. Em como a gente deixa coisas importantes para depois … a família sempre vai estar lá, não é? Se é da família, pode esperar um pouquinho. Mas, de repente algo pode acontecer e mudar nossas vidas. E a gente não poder dizer para aqueles que são tão importantes nas nossas vidas o valor que damos e eles, a esses entes queridos … o quanto são amados por nós. Vale a pena ler. Obrigada minha querida filha, por ser tão importante na minha vida!

  7. Pingback: Desafio Literário 2012 « Leitura Escrita

  8. Pingback: Retrospectiva 2012 « Leitura Escrita

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: