Minha Querida Sputnik – Haruki Murakami

(Curioso. Acho que nunca antes na história desse blog um autor tinha ganhado resenhas de dois livros diferentes num espaço tão curto de tempo…).

Segundo livro do Haruki Murakami que leio (e certamente haverá muito mais, pois me apaixonei pelo autor). Novamente aqui, uma história universal sobre o desconforto de crescer e sentir-se isolado, um tema que ele retomou em After Dark (até curioso perceber a evolução narrativa de um livro para o outro. Minha Querida Sputnik é de 1999 e After Dark de 2004, então várias arestas estilísticas puderam ser aparadas). Um ponto que achei interessante nesse livro é que, apesar da trama melancólica, o cenário é colorido e agradável, partindo até mesmo para uma descrição bem vívida e real das ilhas gregas e de cidadezinhas francesas.

De certa maneira, há um liame temático entre esta resenha e a do livro anterior, por mais que as tramas e seu desenvolvimento sejam bem diferentes entre si. Ambos têm por protagonistas pessoas nos seus vinte e poucos anos, completamente perdidas, e que tem de se haver com alguns traumas do crescimento.

Aqui, conhecemos Sumire, jovem, desleixada com sua aparência, que entrou na faculdade de Letras mas largou-a por ver que aquilo não a ajudaria a realizar seu sonho: ser escritora de sucesso. Há um acordo com seus pais: eles a sustentarão até que atinja 27 anos, nem um dia a mais, então é bom que ela se encontre até essa data, mas até o ponto em que a história começa, a jovem não parece fazer muito para realizar seu próprio sonho.

Leia mais deste post

Os Magos – Lev Grossman

Meses atrás, em um desses momentos de indecisão sobre a próxima leitura e conversando sobre indicações de livros, meu correspondente gaúcho me indicou um dos seus livros preferidos, que havia lhe impactado bastante quando lido: Os Magos, de Lev Grossman.

A recomendação e a temática do livro (uma fantasia passada no mundo real, nos tempos atuais, com uma pegada mais adulta, além de estar um pouco distante da “modinha” fantástica) me convenceram a dar uma chance ao livro –  e ele acabou trazendo um conteúdo um pouco diferente daquele que eu imaginava encontrar.

Essa é a história de Quentin, um adolescente normal, com tendências nerds, solitário e dotado de inteligência acima da média que, um belo dia, graças a uma série de eventos estranhos, é convidado a frequentar a Universidade Mágica de Brakebills. Claro, até aquele presente momento, ele não sabia da existência de mágica no mundo, apesar de seu apego aos livros infantis passados no lindo, mágico e idílico mundo de Fillory que ele sempre quis visitar. (e aqui entra uma referência explícita e óbvia a Nárnia, mas também, e por que não, à Terra do Nunca, referência que fica mais clara com o subtexto em mente, mas já chegamos lá).

Leia mais deste post

Game of Thrones Episódio 10 – Fire and Blood

E estamos aqui na nossa última resenha do seriado Game of Thrones! Até onde pudemos apurar, a primeira temporada foi um sucesso, haverá uma segunda (cuja pré-produção já está em pleno curso e as filmagens começam agora no fim de julho). Já estou com saudades da série, pois por mais que eu soubesse o que aconteceria na cena seguinte, a sensação de ver acontecer na tela é completamente diferente. Além disso, adicionaram muitas cenas – que só fizeram adicionar na história mesmo -, suprimiram alguns personagens, mudaram algumas coisas, ou seja, todo episódio trouxe novidades (acho que só uns dois foram realmente fracos).

A resenha do fatídico episódio 9 foi engolida pelo sistema, mas como ninguém mais comenta as resenhas (snif…) ninguém nem reclamou. Estou tentando recuperar o texto anterior, mas como está difícil, farei outra do zero. Buááá… Algum dia ela será restaurada. Eu garanto.

Mas vamos lá…

Leia mais deste post

Game of Thrones Episódio 9 – Baelor

Este post foi devorado pelos duendes malignos que se alimentam de posts. Será reconstruído aos poucos, então até lá esta mensagem estará aqui no topo. Ai ai…