TOP 5: Alguns livros que eu gostaria de reler…

Bom, pessoal, já que é novembro, que sempre é um mês tenso para todo mundo (é a hora de amarrar as pontas do ano, né?)e o tempo para fazer uma resenha está meio escasso, deixo aqui uma listinha de livros que andam me dando ansiedade para releitura:

1) O Amante de Lady Chatterley, do D. W. Lawrence -> Um dos meus livros prediletos.

2) Madame Bovary, do Gustave Flaubert -> Bom, todos os livros aqui são um pouquinho prediletos, né…

3) Cem Anos de Solidão, do Gabriel Garcia Márquez -> Um dos livros mais fantásticos, em qualquer sentido, que já li.

4) Duna, do Frank Herbert -> Vou reler quando sair a tradução nova pela Aleph, porém…

5) O Morro dos Ventos Uivantes, da Emily Bronte -> “A história de um amor que destrói tudo o que toca”…

Enfim, fica a lista, né?

Mais um desafio para o ano que vem… 😛

E você? Quais livros estão na sua lista de releitura? Diga nos comentários!

Até a próxima!

Anúncios

11 Responses to TOP 5: Alguns livros que eu gostaria de reler…

  1. Lidiany says:

    Recentemente eu Reli Morro dos dos ventos Uivantes e confesso que achei ainda melhor do que quando li a primeira vez.

    O amante de Lady Chaterley eu detestei quando li, mas isso foi há décadas, será que se eu tentar de novo ele fica melhor? 😉

    Duna eu fiquei com vontade quando vc me falou, mas o povo do skoob diz que os últimos são ruins, fiquei tensa! Vai relançar é? Bom saber…

    Madame Bovary eu nunca li, mas tou com um novinho lá em casa na minha pilha o/

    • Ana Carolina Silveira says:

      Geeeente, Lady Chatterley é paixão aqui, um dos preferidos da casa… Madame Bovary também, é maravilhoso…

      E O Morro dos Ventos Uivantes, nossa, é um livro sobre como o amor pode ser destrutivo. Arrumei uma edição em inglês para ler agora 😛

  2. Lidiany says:

    Cem anos de solidão, eu li outro dia. Pq um professor me pertubava pq eu ainda não conhecia!

    É um livro singular!

    • Ana Carolina Silveira says:

      Gente, é MARAVILHOSO, é um dos livros mais bem-construídos que já li, a leitura não fica chata em momento algum, fiquei numa dó danada quando o livro tava terminando porque a história iria acabar…

  3. Ótimo desafio!
    Aproveitei a pergunta e tb fiz um post no blog, com a minha lista de releituras: http://bit.ly/cxXreJ

    • Ana Carolina Silveira says:

      Respondido!
      Quando o ano estiver mais para o final, preciso fazer o balanço dos livros do ano, cheguei a algumas boas conclusões…

      • Já tinha visto o outro desafio… estava verificando minha lista de resenhas para identificar qual delas faltava hehe
        Vou encarar tb, coloco a url nos comentários qdo terminar.

  4. Roberto Ferreira Valderramos says:

    Olha, Ana Carolina, minha proposta é desafiar as suas escolhas propondo outros livros que considero de igual valor senão superiores à sua escolha.

    Ponto, Contraponto – Aldous Huxley

    Lolita – Vladimir Nabokov

    Grande Sertão, Veredas – João Guimarães Rosa

    2001, Uma Odisseia no Espaço – Arthur C. Clarke

    Claro que seleção em matéria de títulos é subjetivo, e talvez você considere as minhas escolhas um pouco inferiores às suas, senão muito inferiores.

    Point Counterpoint é na minha opinião a obra-prima de Huxley. Um painel abrangente, um
    retrato cáustico e dissecador da sociedade inglesa de há cem anos. É uma história impiedosa porém de algum modo divertida sobre as fragilidades e os equívocos do homem e da sociedade. Leitura que continua atual.

    Lolita é mais do que uma história muito bem escrita sobre a obsessão de um homem maduro por uma menina na puberdade. À seu modo, Nabokov expõe a própria síndrome da eterna infantilidade do sexo masculino, desejoso de “parar no tempo e manter-se adolescente para sempre”.

    2001 é uma ficção futurológica espacial que transcende amplamente os cenários sociais ou tecnológicos e imerge nos oceano infinito do espaço-tempo. Mais do que oferecer uma história na linha de “Eram os Deuses Astronautas”, Clarke consegue prender o leitor como num thriller e ainda divaga com frieza e brilho sobre o sentido da vida, toda forma de vida, inclusive artificial. E não se esquece de passar pelo sentido dos avanços tecnológicos ou da evolução das civilizações ou dos caminhos possíveis a um novo homo sapiens.

    Grande Sertão é a obra máxima do mais multifacetado e sofisticado escritor brasileiro, aquele que escreve magistrais epopeias sobre o homem simples. Rosa consegue enxergar desde um ponto de vista olímpico, naturalista, a terra e os seres, todos sujeitos às leis naturais, até um ponto de vista mais intimista, o das infinitas divagações de um personagem matuto que, em toda a sua aparente simploriedade, consegue abranger todo o
    espectro de inquietações que acomete a humanidade, consciente ou inconscientemente.

    Quanto à sua quinta escolha, O Morro dos Ventos Uivantes, admito que é também a minha história de amor favorita. Permanece insuperável, em poder descritivo, poder dramático, capacidade de visualizar e entender o amor homem-mulher como algo visceral, obsessivo, muito mais intenso do que a paixão carnal, muito menos sublime ou afetivamente idealizado do que preceituam as novelas românticas. Apesar de todas as psicoses, de toda a destrutividade que infelicita até os descendentes ou os que apenas ousam se aproximar dessa “catástrofe sentimental”, o amor de Catherine e Heathcliff é algo anômalo, inatural, incômodo, que busca se perpetuar na morte e transcendê-la, e portanto cativa o imaginário das pessoas, que pretendem “sentir esse sentimento”, sentir qualquer coisa que seja muito maior do que o enfado ou a desilusão das paixões frágeis.

    • Ana Carolina Silveira says:

      Suas opções são boas também 🙂

      Lolita é um livro maravilhoso também. Uma história sobre obsessão, desejo e destruição. ALIÁS, quando eu li, fiz resenhinha no meu blog-querido-diário que eu tinha na época, mas nem deve existir mais internet afora. Fica para a próxima lista de releituras.

      Grande Sertão: Veredas, idem. Não sei se tenho palavras para descrever a riqueza da obra, a viagem de personagens , do cenário e da vida dos protagonistas… Nem a linguagem, nem nada disso. Talvez precise reler para encontrar as palavras certas (talvez seja o livro mais fantástico, em tudo, que já li), mas também vai para a outra lista de releituras…

      Os outros dois, confesso, vão para a lista de leituras 😛

      Mas valeu pelas sugestões. E quero reler O Morro… por achar que a obra merece uma resenha, justamente por esses pontos. Os protagonistas são moralmente dúbios (O Heathcliff não precisa nem de comentários, a Catherine com o egoísmo e gênio ruim), o amor de ambos destrói tudo o que toca, mas ainda assim é um sentimento intenso e verdadeiro. Como história de amor trágico, é a minha predileta (como O Amante de Lady Chatterley é minha predileta nos finais felizes), então vale rever…

  5. sue saphira says:

    Releio, sempre: Grande Sertão: Veredas.
    Vou reler: “As Brasas”, de Sándor Márai e Peças em Fuga, de Anne Michaellis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: