IV Fantasticon

O IV Fantasticon se realizou agora, em São Paulo, dos dias 27 a 29 de agosto. Trata-se de um encontro, como eu já disse, de escritores e leitores do gênero fantástico, que mescla simpósio e convenção. É lugar para fazer contatos, conversar com aquelas pessoas que só se conhece pelos livros, encontrar e reencontrar amigos, ficar por dentro das últimas novidades do gênero fantástico (que inclui a fantasia, a FC e todos os seus subgêneros)…

Vou dividir o post em duas partes hoje, fazer as coisas um pouco diferentes do habitual do blog. Para a parte informativa, continuem na linha, a parte pessoal está lá embaixo e não é necessário ler se não quiserem, mas vamos lá:

O Fantasticon

Estive presente no sábado e no domingo participando de oficinas, palestras e mesas-redondas. Infelizmente não pude assistir à mesa que mais me interessava (sobre transmídia), mas o saldo foi positivo – aprendi coisas novas, relembrei e fortaleci aprendizados antigos.

Fiz a oficina de pesquisa literária ministrada pelos autores Sergio Pereira Couto e Gian Celli, que foi bem interessante e elucidativa. Para quem já escreve e debate literatura há um tempinho, a ideia de que a pesquisa é essencialíssima já está gravada em pedra no cérebro, mas é sempre bom dar uma renovada nos conhecimentos e adquirir alguns novos. Fantasticon também é lugar de aprender.

Deu gosto ver a quantidade de livros lançados no evento. Tinha para todos os gostos, bolsos e tamanhos. Infelizmente, fui com o dinheiro contado e só deu para trazer comigo o essencial do essencial, mas é bom saber que nossas livrarias estão abastecidas com tantas opções. Fora que tinham vários descontinhos camaradas, uma pena que não pude aproveitar nenhum.

Para o leitor, vale muito a pena comparecer – pelos descontinhos legais, para ficar por dentro das últimas novidades, para descobrir que seu autor nacional predileto não morde e é até mesmo uma pessoa legal.

Para o autor (aspirante, publicado, consolidado) vale a pena comparecer para trocar ideias e contato  com os colegas mais experientes, ouvir o que as gerações anteriores tem a ensinar, ter consciência de que há uma nova geração chegando e ouvir o que ela tem a dizer. É bom para que a classe se una, pois sem união ninguém vai a lugar algum.

Para as pessoas entre o leitor e autor (blogueiros, podcasters…) também é interessante para entrar em contato com os dois públicos e conhecê-los, além de conhecer seus anseios. Claro, também dá pra ficar por dentro do que é o hype do momento e trabalhar em cima disso.

No cômputo geral, vale muito a pena comparecer ao evento. Não posso deixar de cumprimentar Silvio Alexandre e a organização por fazerem tudo funcionar direitinho. E espero encontrar a todos vocês no V Fantasticon, ano que vem!!!

***

As Pessoas do Fantasticon

O Fantasticon serviu para mim também como processo de despixelização.

Como assim?

Bom, por mais que se conheça essa ou aquela pessoa pela internet, que haja contato por e-mail, redes sociais, mensagens instantâneas e tudo o mais, nada se compara em conhecer a pessoa pessoalmente, olhar para os olhos e ver o outro que está ali. Quando nos conhecemos, nos tornamos menos robôs e mais humanos, nos tornamos menos do que um amontoado de letras do outro lado do monitor e mais gente como a gente.

E é sempre muito bom tornar gente quem conhecemos de longe – sejam os críticos mordazes que são tímidos e contidos ao vivo, os autores que param pra trocar nem que seja uma ideiazinha de leve, já que o tempo é escasso e existem outras pessoas por ali, os autores da geração anterior que param para ouvir os jovens e dar dicas, os novos contatos e a troca de experiência.

E é bom conhecer pessoalmente autores que só vejo pelos livros e twitter – a fofíssima Nazarethe Fonseca; o atencioso, porém visivelmente cansado Eduardo Spohr, o André Vianco que é a simpatia em pessoa…

E por falar em Vianco, pra mim ele fez parte de um dos momentos inesquecíveis do evento: a apresentação do teaser de O Turno da Noite, seriado que ele está produzindo. Foi ver o pai orgulhoso mostrando os primeiros passinhos do bebê que aprende a andar, emoção pura para todos. Também pude ver autores novatos estreiando em eventos e publicações e autores não tão novatos assim demonstrando seus talentos até então desconhecidos de âncoras de talk show. E, claro, Raphael Draccon dando a fórmula mágica do sucesso: trabalho, trabalho e mais trabalho.

E, claro, meus amigos. Se não fosse por vocês, não iria a lugar nenhum. Foram dois dias mágicos, coloridos e encantados na companhia de vocês, para rirmos juntos, fofocarmos juntos, cantarmos juntos (é!) e termos segredos e material de chantagem coletivo 😛 E é isso o que tempera a vida, que dá força nos momentos difíceis e vontade de compartilhar as vitórias. É sempre um prazer enorme estar com vocês todos e desejar felicidade e sucesso em tudo o que quiserem fazer na vida.

***

Até a próxima!

P.S.: foto-bônus para vocês. Na seguinte foto, temos uma blogueira, um podcaster, umautor lançando livro, um best-seller, dois autores iniciantes, uma vampira, o dr. House literário – e um outro best-seller bônus. Divirta-se encontrando AQUI :P.

Anúncios

4 Responses to IV Fantasticon

  1. Pingback: Mais alguns relatos sobre o Fantasticon 2010 « FANTASTICON 2010

  2. Pingback: Um evento fantástico! « NECRÓPOLIS

  3. Olá!

    Observação sobre a foto: o ser de costas, que ocupa boa parte da foto, sou eu. Só acrescente à legenda “e um aspirante à escritor”. Vou cobrar os usos de imagem. Hahaha!

  4. Pingback: Um evento fantástico! | Necrópolis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: